Image Alt

Bom dia, Quinta da Boavista!

Bom dia, Quinta da Boavista!

Esse magnífico complexo foi residência oficial da família real de 1808 até a Proclamação da República, em 1889 e atualmente é o local onde amanhecem centenas de cariocas diariamente em busca qualidade de vida, bem-estar e saúde, usufruindo de suas belas paisagens para exercerem suas atividades físicas e artísticas.

Após um curto período morando no Paço Imperial após a sua chegada ao Rio de Janeiro, D. João VI e sua família fixaram-se na grande propriedade construída em 1803 pelo abastado comerciante português, Elias Antonio Lopes, cuja fortuna se fizera principalmente no comércio de escravos.

Ali, manteve-se toda a linhagem dos Orleans e Bragança, tendo D. Pedro II e sua filha, a Princesa Isabel, nascido naquele palácio. O nome da Quinta vale-se da boa vista que se tinha a partir da construção instalada no topo da colina, de onde era possível ver até a Baía de Guanabara.

Localizado no bairro de São Cristóvão, a Quinta da Boa Vista é, hoje, um dos maiores parques urbanos da cidade, com cerca de 155 mil metros quadrados, que  preserva os jardins e lagos criados pelo paisagista francês Auguste Glaziou; o antigo palácio da família real, onde funcionava o Museu Nacional antes do incêndio; construções e estátuas de bronze originais, como o Templo de Apolo; e o monumental portão, presente de casamento do Duque de Northumberland ao jovem casal D. Pedro I e a Imperatriz, D. Leopoldina, que hoje recepciona os visitantes do Jardim Zoológico, que fica dentro do complexo.

Além dos jardins imensos, o local mais real da cidade conta com  grandes áreas gramadas, belas e enormes árvores, um lago com duas cavernas, pedras e gruta artificial. Um dos locais mais aguardados para visitação ainda esse ano é o Jardim das Princesas. Localizado ao lado esquerdo do palácio imperial, era nesse pequeno e reservado espaço, que Isabel e Leopoldina, filhas de Dom Pedro II, passavam o tempo livre, praticando artesanato e jardinagem, com técnicas ensinadas pela mãe, a imperatriz Thereza Cristina. O local, que servia como um espaço de convívio familiar mais íntimo, nunca foi aberto ao público e será restaurado em primeiro momento, de acordo com o cronograma de reconstrução do Museu Nacional, destruído após o incêndio de 2018.

Ao todo, a corte portuguesa ficou 13 anos no Brasil. Nesse período, foram criadas diversas instituições culturais e educacionais, como a Biblioteca Nacional, o Jardim Botânico, o Real Gabinete Português de Leitura, o Teatro São João (atual Teatro João Caetano), a Imprensa Nacional e o Museu Nacional. Em 26 de abril de 1821, Dom João retornou à Lisboa e deixou como regente o príncipe D. Pedro, aclamado Imperador Constitucional do Brasil após declarar a Independência em 07 de setembro de 1822. Em tempo, a reinauguração do bloco frontal do Museu Nacional está prevista para as festividades do bicentenário da Independência no ano que vem.

O Quinta da Boa Vista é o blend da Espírito do Chá em homenagem a esse espaço muito representativo da história dos brasileiros sob a guarda afetiva dos cariocas, onde natureza e passado se reúnem em um delicioso e típico chá da manhã, mais robusto, complexo e presente, despertando para as grandes realizações que virão ao longo do dia!

Compartilhe
Abrir conversa
Fale com a Sommelier!